sábado, 30 de julho de 2011

Lançamento da antologia 'Elas Escrevem 2'


Olá gente! Tudo bem? Esse post é para anunciar o lançamento da antologia de contos, crônicas e poesias da qual eu estou participando com o conto de drama intitulado 'Elas'.
Como o lançamento se dará no evento de aniversário da editora Andross, ela parabenizará os leitores com desconto! =D

Segue o Release:

LIVRO ESCRITO SÓ POR MULHERES

MARCA ANIVERSÁRIO DE EDITORA

Livro com contos e crônicas de 30 escritoras será lançado

como parte das comemorações pelos sete anos da Andross Editora

"Tem algo a ver com a forma de se expressar. Não sei explicar, mas o jeito feminino de escrever é tão... feminino", diz a escritora Cristiana Gimenes, organizadora do livro Elas escrevem... - Volume II. "A única exigência deste livro era que os contos e crônicas fossem escritos por mulheres e não para mulheres ou sobre mulheres", completa. Gimenes analisou mais de cem contos e crônicas para chegar nos 33 textos que compõem o livro, que será lançado no próximo dia 06 de agosto, quando a Andross Editora completará sete anos.

A casa editorial é especializada na publicação de coletâneas de novos escritores. Surgiu em 2004, dentro dos corredores da Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo, como uma necessidade de publicar textos dos alunos do curso de Letras. A experiência deu tão certo que logo atravessou os muros da instituição e passou a publicar textos de outros escritores que não acadêmicos da universidade. De lá para cá, publicou sessenta livros, com mais de mil autores de todos os estados brasileiros e de vários países de todos os continentes.

Além do Elas escrevem... - Volume II, outros quatro livros serão lançados no evento. São eles:

· Moedas para o Barqueiro - Contos sobre a morte - Volume II

· Próxima Estação - Contos de trem, metrô e outros transportes urbanos.

· Universo Paulistano - Contos de uma cidade que nunca dorme - Vol. III

· Histórias Envenenadas - Contos de Fadas de Terror

No evento, o público poderá adquirir outros títulos da editora ao preço promocional de aniversário de R$ 4,90.

SERVIÇO

Lançamento do livro Elas Escrevem - Volume II e aniversário da Andross Editora (Entrada grátis)

Data: 06/08/2011, das 15h às 20h

Local: China Trade Center- Rua Pamplona, 518, São Paulo, SP (Próximo à estação Trianon Masp do metrô)


---------------

Por questões monetárias eu infelizmente não poderei comparecer, mas eu recomendo irem! Será um ótimo evento para os amantes da literatura =D

Ah, e para quem se interessar depois eu disponibilizarei os livros para venda aqui no blog ^^

I'm back!


Hello Babies! Desculpem pela demora! Estava de férias, viajando, sofrendo, sendo roubada, chorando e me irritando muito na Argentina XD
MAS AINDA BEM ESTOU DE VOLTA!
E junto comigo tenho agora mais exemplares de A Lenda de Fausto, por isso, quem quiser fazer pedidos, estou a dispor, amores!

O preço continua o mesmo, assim como as condições de pagamento e entrega! Para quem não lembra:

1-Fazer o depósito/transferência no banco Bradesco Ag:1300-5, CC:0005434-8 no valor de R$ 39,65, que já é o valor do livro (R$35,00) mais o frete via registro módico (R$4,65) - No caso de depósito via envelope no caixa eletrônico, tem que arredondar para 40,00, já que não dá para colocar moedas.

2-Me enviar por e-mail ( samila.lages[@]gmail.com ) no nº da transferência/depósito/envelope junto com seu endereço e nome para a dedicatória.

OU:

Se quiser pelo pagseguro, me envie um e-mail ( samila.lages[@]gmail.com ) que eu mando uma cobrança no valor de R$ 42,00 (inclui frete e taxas administrativas).
ATENÇÃO: na hora que o comprador for gerar o boleto, o próprio Pagseguro cobra mais R$ 1,00, o que resulta em uma cobrança de R$ 43,00.

Só isso, no dia seguinte à confirmação da transação eu já posto o livro ^^
Se você quiser o envio via sedex, é só me mandar seu CEP via e-mail... Mas é bom lembrar que como eu moro longe, acaba ficando BEM caro... A média de tempo para o envio módico é 7 dias.

Qualquer dúvida, só falar comigo, mandar um e-mail ou deixar um comentário! Beijinhos!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Escritos de Jack Sampaio: Ode a Belial e Fausto

Escritos de Jack Sampaio: Ode a Belial e Fausto:
"Belial
Eu canto a tua canção
Tateando teu corpo pecaminoso
Corrompendo-me com prazer
E tua voz me seduz
Convencendo-me a mergulhar nas trevas
E encontrar a ti(...)"


Leiam o resto desse maravilhoso poema que a linda Jack Sampaio escreveu para o Belial e o Fausto!
Eu amei! Lindo demais! Recomendo!

domingo, 3 de julho de 2011

Einherjar

Hello! Venho aqui postar um mini conto que dedico à minha queria Sue Seme-sama XD

Einherjar


Ele veio a minha procura, atravessou os mares mais mortais para me encontrar nesta terra feita de frio e gelo. Deixou para traz uma esposa e dois filhos que rezam e esperam por ele, mas ele sabe que não voltará. Ele veio para mim, para terminar em meus braços nesta noite de glória.

Olho-o cheia de desejo no momento que ele me desperta com o poderoso som do seu grito de guerra: o urro enfurecido de um guerreiro que sabe que a morte está próxima, mas não a teme. Os olhos azuis e frios miram a minha imagem com convicção enquanto ele observa a tempestade se formando no horizonte. Seu corpo forte e cheio de cicatrizes me excita enquanto eu o observo se aproximando, tendo a certeza de que ele é meu amado, aquele por quem eu espero há tanto tempo.

Ele vem em minha direção, avança sem medo junto aos seus irmãos de batalha numa marcha lenta e forte que faz o papel dos tambores em anunciar a guerra, pois seus passos fazem tremer as montanhas e congelarem os inimigos.

O vento gelado fere sua face, mas ele não sente. Ele sente apenas ódio, dor e fúria, e com tão intensos sentimentos ele pede por minha bênção, e eu a dou na forma de um beijo que ele vê como um relâmpago cortando o firmamento. Eu grito seu nome na forma de um trovão que o preenche de força.

Ele clama pelo nome de Odin e pela destruição daqueles bastardos sem face ou nome, desprovidos de honra e glória. Ele ergue seu machado e pede pela vitória, e o mesmo fazem seus companheiros. Os inimigos surgem e gritam também, em maior número. Pendem por poder aos seus falsos deuses e erguem suas lanças, espadas e arcos.

Mas não avançam.

Quem avança é meu guerreiro, sem medo mesmo sabendo que que esta é sua última batalha; sabe porque Odin o ama, e aqueles que os deuses amam são os que morrem cedo. E por isso a paixão flui em suas veias à medida que ele grita e perde a consciência, pois pensamentos não são importantes neste momento: tudo que ele precisa fazer é matar. Matar e se vingar!

O machado tão alto desce com toda força e parte ao meio um deles como se nada fosse, fazendo o sangue fétido voar como oferenda aos deuses. Meu amado novamente grita o nome de Odin, e nesse momento os machados de seus irmãos também se tornam rubros. O júbilo da morte toma seus corpos em um frenesi de exaltação e carnificina. Mais golpes são dados, e os gritos de guerra não cessam, repelindo os golpes e as flechas inimigas.

Meu amado mata como um insano, e mata para mim. Cada inimigo derrubado é dedicado ao nosso amor e eu me regozijo em ver o sangue impuro escorrendo como a mais bela prova de adoração.

Eles eram mais numerosos, mas nunca haveriam se der páreos, não enquanto eu estivesse lá para abençoar meu querido guerreiro, pois mesmo quando em meio àquela sinfonia de morte a lâmina do inimigo o acertava o peito de meu Einherjar, eu e ele e Odin sabíamos que fôramos agraciados com a vitória e a glória.

Por mais que sinta em meu próprio peito a dor daquele golpe, e por mais que algum desespero tome conta de mim enquanto meu amado grita de dor e fúria, eu sorrio sabendo que elegi o melhor guerreiro, pois mesmo quando seu sangue banha a neve e seus joelhos cedem, ele não se permite cair antes de seu machado fazer de vítima seu algoz.

Observo a cena com emoção, vejo límpidas lágrimas correndo por sua face dura e sofrida, e sinto vontade de chorar em saber que Midgard jamais verá outra vez batalha tão épica. No fundo, por mais que ansiasse por nosso encontro, não queria que fosse hoje o grande dia, não para ele nem para nenhum de seus corajosos irmãos.

Agraciando-lhe com a maior das honras e enxugando minhas próprias lágrimas, voo com meu cavalo ao seu encontro, pois antes que seu tronco encontrasse o chão eu já o teria em meus braços, pronta para levá-lo pra Wahalla, onde haveríamos de nos amar até o Ragnarok.

Mas em seu último momento, ele diz meu nome.

Skeggjold...”

Eu sorrio e o levo comigo, o Einherjar que morreu em glória para ser livre.